Imprensa Notícias

02/05/19 em Por dentro do trigo

Mitos e verdades sobre o glúten

O glúten virou o grande vilão da alimentação nos últimos tempos, mas o que muitos não sabem é que a dieta sem essa proteína vegetal é aconselhada, a princípio, apenas para quem tem intolerância ou doença celíaca.

O glúten está presente em alimentos que fazem parte do dia a dia da maioria da população, como trigo, aveia, centeio, cevada e malte. É ele quem dá consistência aos pães e derivados.

Nós convidamos a nutricionista Andréia Cambuy para dar algumas dicas sobre esse assunto. Confira:

1.       Alimentos sem glúten são mais saudáveis?

Uma alimentação saudável não está associada diretamente ao consumo do glúten. A revista francesa “60 Milhões de Consumidores“ fez recentemente um alerta sobre os produtos que não contêm glúten e chamou a atenção dos franceses que adotaram uma alimentação sem essa proteína. Porém, ao contrário do que se imagina, boa parte dos alimentos industrializados sem glúten têm mais gordura, açúcar, sal, aditivos químicos e são mais calóricos do que os produtos convencionais.

 

2.       O glúten pode causar algum problema de saúde?

Apenas 1% da população mundial tem a doença celíaca. Nela, o glúten não é bem aceito pelo intestino, por desencadear nessas pessoas uma reação do sistema imunológico, que destaca células de defesa para atacar a região. No entanto, para quem não tem a doença ou não é intolerante, o glúten não faz mal. Especialistas afirmam que essa proteína não deve ser cortada da dieta sem orientação médica.

Os nutricionistas, no entanto, alertam para a sensibilidade ao glúten, que pode ser observada mesmo em pacientes não celíacos. Nesses casos, diminuir o consumo de glúten acaba auxiliando na dietoterapia de casos específicos. Lembrando que qualquer dieta deve ser elaborada sempre por profissional nutricionista.

 

3.       A obesidade tem relação com o consumo exagerado de glúten?

Não há estudos que comprovem a eficácia da retirada do glúten como estratégia isolada para emagrecimento. Pelo contrário, um estudo publicado em uma reportagem do jornal britânico "The Guardian” aponta que seguir uma dieta sem glúten sem necessidade aumenta os riscos de se tornar uma pessoa obesa. Isso porque, em busca do glúten-free, as pessoas acabam consumindo alimentos industrializados sem glúten, mas que contém mais gordura, açúcar, sal, aditivos químicos e são mais calóricos do que os produtos tradicionais.